12.18.2009

Ranking das melhores livrarias de 2009

Por sugestão da companheira de trabalho Michelle, cheguei a este curioso ranking das melhores livrarias e sebos paulistas de 2009, postado no Alquimia do Verbo.

Fiquei especialmente curioso com o sebo que levou o melhor na categoria "Melhor subterrâneo frio, escuro e assustador de sebo" (?). Urge ir até lá neste sábado em busca de novas aquisições.

Abaixo, reproduzo ipsis litteris, incluindo apenas os links para as devidas lojas e sebos. E não deixem de visitar a postagem original:

1. Melhor Livraria
Martins Fontes da Avenida Paulista. Tem a maior variedade de livros na área de Humanidades - metros e metros de estantes carregadas, inclusive com obras difíceis de achar.

2. Melhor atendimento em Livraria:
Não avaliado. Poucos atendentes mostram boa vontade ou conseguem fazer alguma coisa além de olhar para a mesma prateleira que você e dizer "não tem, né?". Há exceções pontuais.

3. Melhor atendimento em Livraria Especializada:
Luís, gerente da Livraria Francesa, na Barão de Itapetininga. Sabe qual é o estoque de cor, leu metade dos livros, te chama pelo nome e não fica empurrando qualquer coisa. E é mó legal.

4. Melhor preço:
Livraria da Unesp na Praça da Sé. Dá 15% de desconto para professores em todos os livros e 20% nos livros da própria Unesp. Estudantes conseguem se explicarem sua difícil vida de estagiário.

5. Melhor programa de fidelidade:
Mais Cultura, da Livraria Cultura. A cada R$ 300 gastos você tem R$ 10 de desconto. No da Fnac, paga-se R$ 30 de anuidade para ter 2,5% de desconto nos livros. Faça as contas.

6. Melhor sebo:
Álvares Machado e o José de Alencar, um na frente do outro, na rua Álvares Machado. Pertencem ao mesmo dono, Celso, e estão com o melhor acervo. Preços camaradas com desconto à vista.

7. Melhor subterrâneo frio, escuro e assustador de sebo:
O prêmio, pelo 18o. ano consecutivo, vai para o Treze Listras, na Rua Aurora. Você está no meio de São Paulo e consegue ouvir um silêncio lancinante no subsolo.

8. Melhor sebo "o-dono-não-sabe-quanto-vale-o-que-tem"
Messias, aquele da Praça João Mendes. Garimpando dá para achar raridades a preço de banana. Mas tem que garimpar.

9. Melhor sebo "o-dono-sabe-muito-bem-o-que-tem"
Sebo Parangolé, na Praça Carlos Gomes. Tem de tudo, o acervo é ótimo, o lugar é limpo e organizado e cada centavo gasto nisso é cuidadosamente repassado no preço dos livros.

10. Revelação 2009
A Saraiva, depois de anos apanhando feio da Cultura, resolveu reagir, está com um estoque bom. Destaque para a loja do Iguatemi de Campinas, que bota a Cultura do mesmo shopping no bolso.

6 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. "Deliciarei" isso como lugares a visitar quando estiver aí. Em julho fui em um sebo, na Augusta, bem legal, mas não lembro o nome. É pequeno, com dois andares, escada em caracol, e o dono tem cara de crítico de cinema francês, hehe.

    ResponderExcluir
  3. Ah, eu sei qual é! É o Corsário Alfarrabista. É bom, mas caro. No centro velho tem outros muito melhores. Dá um toque quando vier que fazemos um city tour de nerds ehehe.

    ResponderExcluir
  4. Como compradora compulsiva de livros, terei que visistar esse Treze Listras!

    Eu sempre visito o Corsário Alfarrabista. Realmente, ele é meio carinho, mas achei umas raridades ótimas lá. E tem um cara super bacana que sempre me indica ótimos livros.

    A Cultura é minha queridinha. Quase todo sábado eu estou lá fuçando nos livros (e falindo).

    Assim que eu entrar em férias eu vou bater perna ali no centro e procurar mais coisas (isso pq minha estante não aguenta mais os meus livros).

    O Sebo do Messias é um achado. Com calma, vc acha coisas perfeitas por preços bem pequenos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Esse ano eu tirei o cérebro da gaveta. Comprei mais livros que nos últimos três juntos. Culpo São Paulo por isso. A província aqui nunca me incentivou demais a ler, muito menos a pensar. Comprar o povo daqui é bom.
    Curitiba precisa dum Nero e logo.

    ResponderExcluir
  6. Comi a palavra e "inutilidades" no meu comentário anterior.

    ResponderExcluir