8.06.2012

Tarifa Zero



Quando ouvi há tempos atrás falar do projeto Tarifa Zero - aquele que faria com que o transporte público fosse gratuito em São Paulo - de imediato considerei uma idéia legal, mas impraticável em todos os sentidos. 

Até que eu assisti ao vídeo acima e mudei de opinião: o Tarifa Zero é perfeitamente possível de ser implantado e, mais do que isso, é uma necessidade cada vez mais premente. E não apenas pelo transporte "gratuito" em si, mas por dar um fim ao absurdo das concessões que são fechadas como acordos entre criminosos; por diminuir os gastos públicos com manutenção de ruas e avenidas; e principalmente por afetar a lógica de organização da cidade como um todo, colocando sob um prisma mais público a locomoção diária e a apropriação do espaço pelas pessoas, colocando em segundo plano a adequação de todas as vias urbanas para o fluxo de automóveis - como acontece hoje em dia. 

Inclusive, você sabia que em São Paulo durante o período de 1990 a 1992, teve na zona sul um projeto piloto do Tarifa Zero, que ligava um terminal de ônibus gratuitamente com várias linhas dos bairros próximos? E que, como esperado, aumentou bastante a utilização dos ônibus, mas sem prejuízo do serviço? E contrariando todas as perspectivas catastróficas (que transparecem claramente preconceitos de classe) não houve vandalismo, nem quebra-quebra, nem nada disso?

Além das questões referentes ao transporte público há dois elementos que aparecem indiretamente no vídeo, que não dizem respeito ao Tarifa Zero em si, mas que gostaria de comentar. O primeiro: para cargos públicos, sejam quais forem, é necessário que o indivíduo tenha uma formação minimamente adequada. Desde os tempos da Suméria, questões públicas tem componentes ideológicos (que já são complexos) e técnicos (por vezes ainda mais complexos que os antecessores). Sendo assim, quando vejo tipos folclóricos como Tiririca sendo eleitos, me pergunto: eles teriam a capacidade de analisar questões complexas, de cruzar informações e emitir um juízo adequado a respeito delas? Teriam uma ampla visão para enxergar as minúcias, pensar a cidade (ou estados, ou até mesmo o país) em uma perspectiva de médio e longo prazo? O Inferno está abarrotado de almas cheias de boas intenções e, na política, elas podem embelezar os discursos, mas poucos frutos trazem para a vida prática. Já o outro elemento é algo ainda mais difícil de ser visto, em especial no estágio atual de decadência do mundo: para enfrentar determinadas questões públicas é necessário ter um grau quase heróico de coragem. Bate-se de frente com interesses, com egos inflados, com esquemas criminosos mamando nas tetas dos submundos do poder. Que homens públicos atuais teriam tal capacidade? 

É sobre isso e muito mais que Lúcio Gregori, idealizador do Tarifa Zero, fala no vídeo. Vale muito a pena assistir.

Mais sobre o Tarifa Zero em http://tarifazero.org

2 comentários:

  1. mais infos sobre tarifa zero aqui: http://tarifazero.org

    ResponderExcluir
  2. Valeu, D.
    Atualizei o post com esse link. Nem todo mundo lê os comentários, assim fica registrado direto no post também ;-)

    ResponderExcluir