1.06.2010

Histórias de amantes III

Um hora passou e ele ainda não havia chegado. Embora nunca fora pontual, um atraso tão longo como esse jamais tinha ocorrido. Ligou para ele inúmeras vezes e nada. Fez o mesmo para o trabalho, disseram que ele saíra mais cedo.

Tinha saído mais cedo, se atrasava e sequer a avisava? Parecia não existir justificativa para tamanho descaso. Já suspeitava o pior, já cogitava ligar para algum hospital; mas não o fez imaginando que seria ridículo, que não dariam atenção a um pedido de mulher preocupada com um atraso. No mais restava esperar e tratar de ser boazinha quando ele enfim chegasse. Haveria de ter uma boa explicação, uma excelente explicação, como nas demais vezes em que precisou se atrasar.

A poucas quadras dali havia um homem. Estava deitado e olhava para o teto. Subitamente se levanta. Enquanto se veste fala para a mulher que ainda está deitada que tinha se esquecido de um encontro importante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário